domingo

Olhei o céu


Hoje olhei o céu!...
Lá no firmamento,
infinito,
cândido e belo,
pendem as estrelas
brilhantes e luzidias
por encantarem
as almas solitárias
que olhando
vão esperando
que alguma caia do céu.
Depois...
pedem-lhe um desejo
a estrela voltará
com um príncipe encantado
montado num cavalo
e logo as beijará.
As almas solitárias
seu olhar encontrarão
e no seu coração
fluirão emoções
nunca dantes sonhadas.
De repente!...
Há um trovão
e logo de repelão
acordam o coração
das almas solitárias
que ficam de novo sós!..

7 comentários:

su disse...

Isto parece um conto, uma história com aquele final do estilo: De repnte acordo...foi tudo um sonho! Mas belas as palavras e as suas conjugações que fizeste para expressar esta ideia.
Que haja sempre um céu com estrelas pendentes, como se enfeitassem uma árvore de natal gigante, e que satisfaçam os nossos desejos, pelo menos o de estar a olhar para toda aquela beleza...e que sejamos felizes com a simplicidade desse gesto...

:))
Belo poema!
Beijinho grande grande, aqui da Teia.

Maria Luar disse...

No trilho da poesia e do amor infinito.
Beijinhos

amigona avó e a neta princesa disse...

Deixo um abraço...de dor mas, também, de amizade...obrigada...

Artur Moura Queirós disse...

Enquanto houver estrelas o coração estará desperto, é quando elas se apagam que ele adormece, porque ao contrário das pessoas as estrelas estão sempre lá, é sob a sua luz que o coração palpitará ao ritmo do sonho...:)

Maria Luar disse...

A tua passagem deixou trilho de amizade.
Obrigada.
Abraço

Som do Silêncio disse...

Muito belo...
Encantou-me!

Bjs

Fátima disse...

Amiga,

Enquanto houver estrelas, nós estaremos sempre iluminados!
Muito bonito!

:-) Beijinhos